Ingredientes alergênicos: evite problemas de saúde

Ingredientes alergênicos: evite problemas de saúde

Para muitas pessoas um dos maiores prazeres da vida é comer bem. E um dos piores problemas é passar mal, ainda mais depois de uma boa refeição. Acontece que, por vezes, esse problema pode ser evitado, por exemplo, se você tiver alergia de algum alimento, você pode excluir determinados ingredientes alergênicos da sua vida e nunca mais precisar passar por isso.

A alergia alimentar é uma reação do organismo a alguma proteína presente no alimento, o corpo entende que ele seja prejudicial e reage tentando eliminar rapidamente o “invasor”. Ao entrar em contato com o agente agressor o organismo cria um processo inflamatório que produz quantidades excessivas de anticorpos do tipo IgE, que causam a alergia.

A maioria das crises acontece logo após a ingestão do alimento e podem desencadear diversas reações, desde simples a problemas mais graves como:

  • Náuseas
  • Diarreia
  • Coceira
  • Dificuldades para respirar
  • Manchas avermelhadas
  • Inchaço em determinadas partes do corpo
  • Em casos extremos é possível que a pessoa alérgica venha a óbito.

Como identificar se você possui alergia a algum alimento?

Neste caso, o maior responsável é o fator hereditário. Metade das pessoas que apresentam reações alérgicas possui histórico familiar. Outro ponto que pode ser considerado é a introdução precoce de alimentos em bebes, pois o sistema imunológico ainda não está fortalecido.

Para obter um diagnóstico correto é preciso procurar um médico especialista. Uma série de exames, como avaliação sanguínea, biópsia intestinal, endoscopia, dietas de exclusão, testes cutâneos, entre outros, será realizada para detectar o alimento alergênico.

A medida mais provável, depois de diagnosticar a alergia, é excluir os ingredientes alergênicos da dieta.

Entre os principais ingredientes alergênicos estão:

  • Leite – são mais de 20 proteínas presentes no leite, dentre elas as que possuem maior potencial alergênico são a caseína e a alfalactoalbumina. É importante lembrar que a pessoa que tem alergia a leite de vaca, também terá reações ao consumir os derivados do leite. Aproveite para ler nosso outro artigo Afinal, leite faz bem ou mal para saúde?
  • Ovos – a ovalbumina e a ovomucoide, ambos presentes na clara do ovo, podem gerar reações alérgicas. Ainda assim, quem é alérgico não deve consumir nenhuma parte do alimento.
  • Frutos do mar, crustáceos e moluscos – eles são um dos maiores responsáveis por desencadear alergias em adultos. A principal encarregada por isso é a tropomiosina, mas as outras inúmeras proteínas encontradas nesses animais também podem desencadear reações no organismo.
  • Amendoim – rico em proteína, o amendoim também está na lista dos principais ingredientes alergênicos. A cupina e a conglutinina são as principais responsáveis pelas reações alérgicas.
  • Trigo – o organismo das pessoas alérgicas ao trigo identifica a proteína gliadina como o componente que poderia prejudicá-lo e passa a enviar anticorpos para combatê-la. Não necessariamente a pessoa terá reações à cevada, aveia ou centeio, a não ser os celíacos, que apresentam intolerância ao glúten.
  • Outros alimentos alergênicos comuns são: soja, castanha-de-caju, amêndoas, nozes, pistache, látex natural e etc.

Como não correr riscos?

Para não ser surpreendido negativamente depois de comer, é necessário ler a embalagens dos alimentos. Se você vai a um restaurante e está na dúvida sobre um determinado prato, não hesite em perguntar.

A Anvisa também possui uma norma que obriga a indústria a identificar em sua embalagem se o produto possui algum alimento alérgeno ou contaminação cruzada, ou seja, presença de qualquer alérgeno alimentar não adicionado intencionalmente ao alimento, como consequência do cultivo, produção, manipulação, processamento, preparação, tratamento, armazenamento, embalagem, transporte ou conservação de alimentos, ou como resultado da contaminação ambiental.

Essas informações devem estar agrupadas próximas a tabela de ingredientes, de maneira legível, em caixa alta, negrito, cor contrastante ao fundo do rótulo, altura mínima de 2mm e nunca inferior à altura de letra utilizada na lista de ingredientes. Os produtos que não cumprirem a norma estão sujeito à multa que varia entre R$ 2 mil e R$ 1,5 milhão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *