Mitos e verdades sobre alimentos da moda

Assim como em outros segmentos, a alimentação também tem suas tendências e alimentos da moda. Muitos deles são novidades para nós, outros já são conhecidos, mas só agora foram descobertos novos benefícios nutricionais.

A questão é que os alimentos da moda estão em alta, seja para contribuir com a saúde, para auxiliar na dieta e no emagrecimento e até como complemento na cura de doenças. Mas, assim como qualquer outra tendência, surge muita polêmica em torno do assunto, por isso não é bom sair acreditando em tudo que dizem por aí.

Alimentos da moda: Mito ou verdade?

Óleo de coco

Com sabor especial e diferente do óleo convencional, o óleo de coco é conhecido como uma gordura boa para ser implementado nas receitas. Composto principalmente por gorduras saturadas, em comparação as outras possibilidades como a manteiga, provoca um aumento menor nos níveis de colesterol. Por ser uma gordura, deve ser utilizado com moderação, principalmente pessoas com alguma insuficiência cardíaca.

Goji berry

A fruta contém poucas calorias, é livre de gorduras e rica em fibras, por isso é considerada uma grande aliada das dietas e na perda de peso. Também é fonte de vitamina C e antioxidantes. Mas, ao contrário do que as pessoas pensam, o Goji berry não faz milagre. Para isso, é necessário consumi-lo, junto a uma alimentação saudável e exercícios físicos.

A fruta é contraindicada para mulheres grávidas, lactantes, crianças, pessoas que fazem uso constante de medicamentos para controle da pressão arterial e diabetes.

Batata doce

Conhecida há anos pelos brasileiros, a batata doce ganhou ainda mais representatividade no cardápio das pessoas “fitness”. Trata-se de um alimento de baixo índice glicêmico, que eleva lentamente a glicose sanguínea, e com isso, o organismo produz insulina aos poucos. A insulina é o hormônio que impede a quebra de gordura e o acumulo na região abdominal.

Linhaça

Considerada um alimento funcional, devido a fonte de ômega 3, fibras e lignana. Pesquisas já comprovaram também que ela é eficaz no controle e prevenção de risco de doenças cardiovasculares, além de diminuir os sintomas da TPM e auxiliar na regularização do intestino.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, o grão in natura não é tão eficaz quanto a farinha, já que o organismo dificilmente consegue quebrá-la para o melhor aproveitamento dos benefícios.

Chia

A semente sul-americana é repleta de propriedades porque tem grande concentração de oligoelementos, que são nutrientes como ácido fólico, ferro, cálcio, magnésio e potássio. Muitas vezes ela é utilizada como um repositor energético e grande aliada das dietas.

Por outro lado, é preciso tomar cuidado já que uma porção de 30g de sementes de chia contém 11g de fibras (42% do valor diário recomendado), o que pode desencadear mais facilmente dores intestinais.  Pessoas que tomam medicações devido a problemas cardíacos ou anticoagulantes devem evitá-la devido aos efeitos aditivos.

Tapioca

O prato original do nordeste do Brasil ganhou fãs por todos os estados.  A tapioca é feita da massa da mandioca, não contém glúten nem gorduras e ainda é fonte de energia.  Além disso, tem pouco sódio, é rica em vitaminas como B1, B6, B9, cálcio e ferro. Porém é rica em carboidrato, se você adicionar tapioca a tudo que você já come, você provavelmente terá um aumento de peso. Ela deve ser apenas uma substituta de refeição.

Nenhum alimento da moda faz milagre sozinho, tudo depende da forma como você vai consumi-lo e dos seus hábitos diários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *